Juruá Online

Variedades

Mais de 400 famílias atingidas por cheia no Acre devem receber auxílio de R$ 200 da Agência Adventista

Um trabalho humanitário, movido à solidariedade, mobiliza cerca de 250 voluntários da Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (Adra) e atua nas cidades atingidas pela cheia dos rios no interior do Acre.

O grupo atua com ajuda a Defesa Civil na retirada das famílias e ainda conseguiram um recurso de aproximadamente R$ 100 mil para doar aos desabrigados e desalojados das cidades de Cruzeiro do Sul, Sena Madureira e Tarauacá, que tiveram situação mais crítica com o transbordo dos rios.

João Paulo Dias, diretor regional da Adra Rondônia-Acre, diz que além destes três municípios, eles ainda estudam uma forma de ajudar com cestas básicas os moradores de Rodrigues Alves.

“Nós temos algumas frentes de respostas; conseguimos um recuso da Adra internacional de aproximadamente R$ 100 mil, onde a gente vai beneficiar 430 famílias destes três municípios com um voucher de R$ 200 cada”, disse.

As pessoas que vão ser beneficiadas com o recurso passam por um cadastro on-line, que devem fornecer os dados para confecção de um cartão. Os cartões vão ser confeccionados em Brasília e então eles fazem o cronograma de entrega que deve ocorrer até sábado (27). A distribuição para as famílias deve ocorrer até o início da próxima semana.

Grupo ajuda na retirada de famílias das casas atingidas pela cheia  — Foto:  Heverton de Paula/Asdra

Dias afirma que o trabalho de cadastro é feito por cerca de 80 voluntários que estão nos três municípios. E que todo trabalho é feito para aliviar o sofrimento das pessoas. “Aliviar o sofrimento e levar esperança para estas pessoas, é isso que nos move”, pontuou.

Dos cartões que vão ser distribuídos, 230 devem ficar em Sena Madureira, 100 em Cruzeiro do Sul e outros 100 em Tarauacá.

“Muitas famílias estão saindo das suas casas e a gente ajuda a transportar. Hoje mesmo a gente atendeu uma família para fazer o cadastro e interessante, numa mesma casa tinha três famílias diferentes, a primeira família se alojou na casa da segunda família e aí a casa da segunda família foi tomada por água e essas duas, foram deslocadas para uma terceira casa. Então, estavam três famílias em uma casa só, é uma rede de solidariedade muito grande", concluiu.

Cheia no Acre

Das dez cidades acreanas atingidas pela cheia dos rios, pelo menos oito delas estão com vazante (diminuição no nível das águas) e com estabilidade após os rios baixarem alguns centímetros, entre o sábado (20) e o domingo (21).

Entre as cidades que apresentaram vazante está a capital acreana, Rio Branco. O Rio Acre chegou à cota de 15, 49 metros na manhã deste domingo. No interior do estado, as cidades de Feijó (14,22), Tarauacá (10,10), Sena Madureira (18,04), Santa Rosa do Purus (6,99), Jordão e Rodrigues Alves (sem régua) também começaram a baixar.

Em números atualizados neste domingo, a Defesa Civil estima ainda 118.496 pessoas atingidas pelas enchentes, mas o Acre chegou a ter 130 mil pessoas atingidas de alguma forma pela cheia dos rios na capital e no interior do estado. A Defesa Civil considera atingidas pela cheia casas onde a água chegou, desabrigando ou não os moradores.

Mesmo com a vazante dos rios, o número ainda deve aumentar por causa dos efeitos pós-cheia.

 Via: G1

 

 sicredi2.png

© Copyright 2015 - Empresa Cruzeirense de Telecomunicações de Rádio e TV LTDA